Um simples texto!


Cada lágrima derramada quardada num báu de cristal, cada pedaço de minh'alma sendo levado, aos poucos pelo descaso teu, enxugar lágrimas é fácil, dificil é fazer com que cessem tentar preencher o que já foi roubado, trivial.
mas aquela parte que se foi nunca mais será ocupada feridas se abrem causando dor isso são cicatrizes. Buracos tampados de maneira tosca despreocupada apenas para conter as lagrimas, do alemãp liebespiel, do inglês love game do português " brincar de amar" quem não brinca?
Aqueles que acreditam que o amor possa existir. Aqueles que constroem castelos de sonho, e que se enganam se iludem, caem, machucam-se, humilhan-se perdem totalmente o amor proprio, e, mesmo assim, continuam na mesma utopia um amor que se encontra apenas e somente, em contos de fada contos esses que vivemos só em nossos sonhos, na esperança de que um dia talvez, possa vir a ser realidade as lágrimas salgadas que cicatrizaram as feridas. Os buracos tampados pelo sal grosso de um gozo, tãp profundo que dor e prazer parecem um só do báu para a taça da taça para labios mentirosos, dos labios para os pulsos ja cortados dos pulsos para a fria e silenciosa sepultura lagrimas incansaveis, olhos rubros lagrimas incansaveis para alguém que se disiludiu para alguém que tem medo de amar seria alguém que não quer mais sofrer, mas que não desiste a esperança, a expectativa, o sonho de um dia de ser feliz, não nos deixam desistir de ser e é esse medo misturado a uma vontade incontrolavel de amar aonde encontrarei a minha ruina.
Quero uma sepultura, de pedra negra, tão sombria como uma noite de tempestade cobertas de rosas vermelhas feitas de sangue, todo sangue que o meu coração romantico derramou, coração esse que nunca deixou de amar, enquanto batia, quero uma chuva violenta, numa tarde fria. que lava o sangue da minh'alma. Quero um anjo feito de luz, de amor puro e sincero, que me liberta dessa escuridão e me leve pra onde todos são felizes

0 comentários :