Pedras no caminho



Eu me tornei uma pessoa muito madura para minha idade, talvez a depressão do meu pai tenha feito aquela menininha que existia em mim morrer e nascer uma mulher forte e determinada que já sabe muito bem a onde quer chegar. Tive que aprender muito cedo a dor da perda e da separação, talvez seja por isso que sou tão fechada, algumas pessoas até me criticam sem nem me conhecer, por ver o meu rosto totalmente fechado sem muita "cara de amizade".
Meu pai, se recuperou, não totalmente, mais vai levando a vida do jeito dele, e quando eu achava que tudo estava normal, que eu poderia sair da minha concha, você se foi Rodrygo, o único menino que eu tinha conragem de contar todos os meus segredos sem medo e pudor nenhum, me aconselhava e me mostrava que a vida era muito mais colorida do que a gente pensava, mais um engano tirou a tua vida, cheguei a perder amizades quando você se foi, me isolei completamente. Mais lembrei que você não ia querer isso pra mim então ergui a cabeça e segui em frente, e agora você Taiza foi embora e vai deixar muitas saudades, vou tropeçando, caindo e aprendendo que a vida é assim e se fosse fácil não teria a menor graça, talvez tenha sido melhor assim.
Aprendi a ver que lamentar dos meus erros e problemas não vai me levar a lugar nenhum, fugir dos problemas não os resolve só pira, temos que enfrentar eles de frente e se não der pra resolver tentar conviver com eles da melhor maneira possível, e pra que se lamentar? A gente não pode voltar no passado e apagar o que fez, mais pode tentar fazer um futuro diferente e tentar reparar de alguma forma o que a gente fez. A vida é tão curta pra gente perder o tempo, então viva a vida intensamente!


Beijuxxx ;*

0 comentários :