Literatura posta em prática.



 Sou pedagoga, para quem acompanha o blog já sabe, pois bem. Alguns dias atrás uma aluna sentou do meu lado e começou a desenhar, o que para a minha mente adulta não passava de riscos e bolinhas, mas ela estava bastante entusiasmada no que estava a fazer então me lembrei de uma literatura que apesar de seus longos anos, muitos de nos conhece bem sua história - O Pequeno Príncipe - Antoine de Saint-Exupéry.
  Livro o qual aprendi muitas coisas pedagogicamente falando, no livro o autor começa com o seu personagem, desenhando uma jiboia que engoliu um elefante, e para os adultos que ele mostrava, lhe diziam que era um chapéu, enfim começam a desmotivar o garoto que parou de desenha e só a se focar no que os adultos falavam a ele ( matemática, geografia etc...). Criança. sonha e tem a imaginação muito mais aflorada do que nós, tenha certeza disto, voltando a minha aluna com seus rabiscos e bolinhas completamente desconexas para minha mente adulta, comecei a lhe perguntar o que ela estava a desenhar e ela me respondeu que uma princesa e em seguida prosseguiu com suas bolinhas, vendo que estava interessada em seu desenho, virou-se para mim e disse: " Olha tia o castelo que desenhei para ela, agora ela terá onde dormir". Pois bem, o livro para alguns é apenas uma literatura linda e cheia de suas metáforas, para alguns que abrem suas mentes sociologicamente, filosoficamente e o impem em prática, aprendemos que a rosa, que o pequeno príncipe cuida em seu planeta, é prepotente, orgulhosa, vaidosa, e usasse disto e da ingenuidade dele para se aproveitar, o acaba cativando ele, mas o que é cativar? O que quase ao termino do livro a raposa o ensina, dizendo que a varias rosas, varias raposas, mas ao trocarem olhares, e insistirem naquilo, ambos acabam se cativando e o que era uma raposa, acabou virando "A'' raposa, a rosa tem seus vários significados, não entrarei em detalhes aqui, não agora, mas pude por em prática de que, devemos incentivar, mesmo que aquilo não nos parece comum.
  Para ser sincera, apos ela ter me dito o que era, até que eu pude enxergar uma princesa em meio aquelas bolinhas e riscos! Um dia fomos crianças, alguns teve os seus sonhos libertados, e tenha certeza, não terão problemas mentais tão cedo, outros foram frustrados por adultos que lhe diziam para deixar de besteira, para crescer, que tal coisa não existe, para toda criança qualquer pedaço de "coisa" é motivo para soltar a imaginação, enfim!

0 comentários :