Hey baby!

           Olá pessoas! O Life Is Made Of Dreams não está morto! Está apenas em um hiatus mais que demorado, mas não esqueci deste cantinho, que um tempo bombou, mas como tempo de não publicações, foi perdendo seus seguidores. A vida da autora anda bastante movimentada, e isso incluiu 1 faculdade, 1 pós-graduação com o TCC em andamento e outra pós-graduação em andamento também.
            Em breve, não tão breve estarei retornando a minha escrita aqui, pois se tem algo que sempre gostei e me fez bem, foi escrever, então o meu "Hey baby" é uma mistura de estamos vivos e seguindo com um até breve, pois estou sentindo falta das nossas reflexões semanais, as playlist louquinhas e o escrever para acalmar a alma! 
             Então até breve.

Happy New Year, Happy 2015!

O livro de 365 dias foi aberto (olha o clichê) e cada um vai começar com o mimim de sempre de escrever cada página como se fosse a ultima. Mas para ser honesta, até que estou entrando neste clichê e literalmente de cabeça.
Este ano será de realizações, ano em que termino a faculdade, e darei o ponta pé inicial para minha primeira especialização, ano de uma viagem em lugar de formatura, afinal uma viagem marca mais que um dia toda "engomadinha" e com um canudo na mão, este eu vou levar de qualquer jeito, com ou sem "formatura", ano em que tratarei de vivenciar cada vez mais minhas realizações, por quê 2015 é o ano em que tudo esta mais propício para acontecer, basta você dar uma forcinha para o universo. Que este ano que inicie, continue sendo iluminado, que a Deusa sempre esteja abençoando o meu caminho, pois o caminho da antiga arte foi a que escolhi, a que pertenço em ser, alma e espírito! Que cada página escrita, não seja por ser, mas seja escrita com a convicção que todos os erros e acertos contidos nelas nos levaram para o melhor de nos, pois é até nos piores erros que aprendemos a sermos melhor! Bendito seja 2015 que toda a luz contida em ti seja refletida na vida daqueles que só buscam o bem de si e de todos.
Então, trate de pegar a sua página, pinta-la, rabisca-la fazer dela a sua tela, onde a sua arte, vinda da arte seja o portal para esta melhoria, não importa se for colorida, ou preto, branco, ou apenas preto e branco, ela é sua e por ser sua a responsabilidade por cada desejo, ato e realização contida é apenas sua!

Pediram para escrever sobre a vida, a infância que tanto ausento, por mais que a tenha viva em mente, mas para que colocar em versos e prosas mais do que aprendi com ela? De certo modo estaria eu, em pequenos versos expondo o que tanto ocultei para que a minha sanidade, intacta permanecesse.
Quem dera por para fora sem ser subliminarmente e por meio da escrita o que tanto adoeceu minha alma, mas é justamente aqui, por meio da escrita, da literatura que achei a cura para a alma que um dia se segurou ao máximo para não ver o além. Desvendar-se por meio de palavras escritas em um belo poema, é desnudar-se para aqueles que a alma assim como a sua de certo modo passou por algo igual, parecido ou até maior do que a sua. São almas interligadas por algo muito maior.
Sobre a vida? Escrevi o bastante para dizer que sobrevivi e que com a infância amadureci o suficiente para ter a plenitude de como seguir em frente.

Libertas

A madrugada silencia a cidade que revela os sons mais simplórios, 
Perdida em pensamentos não confusos
Sinto cada milímetro de lágrima se formar
Sob a linha dos meus cílios inferiores,
Prontas para rolarem face à baixo.

Em seu ritmo rápido, molhado e salgado,
Dizem: aproveitas, libertas tua alma que de certezas,
Exclama a dor de ver a tua razão falar mais alto. 

Permita-se ouvir a voz do teu íntimo, 
Responder a pergunta que a meses te assombra. 
Queiras ter a plenitude de libertar as lágrimas,
Que por tempos tentaram, 
Mas jamais desceram pelo real motivo. 

Se a tua felicidade é momentânea, 
Agarres, pois a alma que libertas do sofrimento
É a mesma que transformará esta alegria em cotidiana. 
Não segures, apenas deixe brotar e rolar, 
A alma que exclama liberdade,
É a mesma que diz: Não temas, 
chorar não é sinal de fraqueza, 
Mas sim, de purificação.

 (Autora: Brenda Barbosa)

On My Way


O caminho em que tenho percorrido é o que mais aproxima-me do que realmente sou, e tudo que venho a encontrar, enfrentar, passar e vencer só faz fortalecer a certeza que o melhor é ser quem você é! Aprendi que ser honesta/sincera custa caro perante a sociedade que vivo, mas prefiro ser a "chata" em dizer verdades do que falar o que gostariam de ouvir para ser a "legal", afinal, estaria enganando apenas uma pessoa: eu! Por mais que minhas escolhas façam com que pessoas fiquem pelo caminho, apenas observo que as que ficaram, eram aquelas que só estavam presentes quando precisavam de mim e mais nada, aquelas que não sabiam quem eu realmente sou e não aceitavam-me como sou. No meu caminho, vou atravessando barreiras, obstáculos que por mais pareçam que iram derrubar-me, apenas faz com que siga em frente mais forte e determinada e os ganhos são inigualáveis, amizades e objetivos tão almejados que só tem à acrescentar na minha vida. É neste caminho, que aprende aos 14 anos que era hora de ver que o mundo não era apenas de felicidade e sim de responsabilidades e realidades que te amadurecem mais rápido do que o desejado e que não havia tempo para ter adolescência, foi aos 14 anos que compreendi a crença em que realmente deveria fazer parte, aos 17 anos conheci a dor da morte, mas aprendi e sei que ela não é o fim, mas sim o começo de um novo ciclo, aos 20 anos tive a certeza que é o caminho certo a seguir. Vou deixando a psicologia da vida me levar.
"Uma coisa é conhecer o caminho, outra é percorrer o caminho"